domingo, 5 de dezembro de 2010

Preparativos para o Natal

Há muito tempo, nessa época do ano, lembro-me que ajudava minha avó a montar a árvore de Natal, enfeitar a guirlanda para a porta de entrada, bem como montar o presépio. Saía com ela para o centro da cidade e comprávamos lembranças, que eu ajudava a embrulhar e colocar etiquetas para identificar de quem era aquele presente. 

A maior diversão era o sorteio do “Amigo Secreto”, que era uma farra... Chegou a ter um número bastante grande de participantes, reunindo toda a família e amigos... Os presentes eram guardados embaixo da lareira, e que chegavam a ocupar muito espaço na sala. O preparo da ceia era dividido entre as mulheres da família, cada uma levando ou se responsabilizando por um determinado prato. Era uma fartura só...


A presença do Papai Noel era indispensável e meu querido e saudoso avô era o responsável em providenciar a fantasia... Quem vestiria? Ele mesmo, é claro, sempre com muita alegria e simpatia.
Foi uma época feliz e muito boa de minha vida. São lembranças que jamais esquecerei...

 
Então, é Natal – Simone – Edição de vídeo: Beto Melodia 

Estamos praticamente no final de ano e nessa época sempre fazemos um balanço sobre os últimos 365 dias que se passaram. Pensamos nas coisas boas e ruins que aconteceram, e projetamos coisas melhores para o ano seguinte.

Muito obrigada a todos os meus leitores, que vêm acompanhando minhas postagens e prestigiando-me com seus carinhosos comentários.

Então, bom Natal, uma feliz passagem de ano e até 2011!

Lilih

domingo, 28 de novembro de 2010

Coragem

O Encantador de Leões, Kevin Richardson (Lion Man)

 Nada de matar um leão por dia. Vamos domá-los!” (*) é uma frase que encontrei na internet e que retrata bem meu sentimento atual: estar aberta às mudanças e também me permitir vislumbrar algo acima das expectativas.

É preciso coragem para conquistar minha independência financeira, que de um lado garantirá minha sobrevivência, mas por outro lado terei muito mais responsabilidade em administrar minha vida e meu tempo. E nessa hora, deposito minha confiança nos meus familiares: minha mãe e meus irmãos, que sempre estão ao meu lado cuidando para que eu possa caminhar e enfrentar os leões que estão por vir...
 
Coragem

A coragem não consiste em arriscar sem medo.
Ao contrário!
É preciso estar convicto do que se quer para se ter coragem de agir.
Coragem, também, não se traduz por agressividade, ou atitudes intempestivas.
Na verdade, a coragem tem no seu bojo virtudes como serenidade, paciência, amabilidade e solidariedade.
Para entender melhor, podemos classificar a coragem em vários tipos:
A coragem física, para enfrentar situações de perigo que coloquem sua vida em risco.
Coragem de convicção:
Não ter medo de aceitar e propagar as suas crenças.
Coragem moral:
É aquela capaz de fazer você optar pelo que é ético e justo, mesmo contrariando pessoas influentes ou até o seu circulo de amizades.
Coragem solidária é a coragem de se envolver com as necessidades dos outros.
Isso mesmo:
Amar o próximo requer muita coragem, sim!
Existe ainda a coragem emocional, para lidar com circunstâncias dolorosas e adversas da vida.
A coragem de criar, sem medo de inovar, de quebrar a rotina, de mudar a maneira de ver as coisas.
E o mais elevado grau de coragem, a coragem de perdoar, difícil de ser encontrada em qualquer pessoa.
Dar a outra face para o inimigo é um ato que requer coragem e amadurecimento.
E você aí, é uma pessoa de coragem?
Então, acorde menina, acorda menino...
Porque vida, em si, já é um ato de coragem...
(Mensagem exibida no Programa Mais você)

Nota: Postagem publicada por lilih, no blogue Minha Vida, Meu Caminho

domingo, 21 de novembro de 2010

Lidando com a perda



Dedico este poema à minha saudosa amiga MARINA:

“A morte não é nada.
Eu somente passei para o outro lado do Caminho.
Eu sou eu, vocês são vocês.
O que eu era para vocês, eu continuarei sendo.
Dêem-me o nome que vocês sempre me deram,
Falem comigo como vocês sempre fizeram.
Vocês continuam vivendo no mundo das criaturas,
Eu estou vivendo no mundo do Criador.
Não utilizem um tom solene ou triste, continuem a rir
Daquilo que nos fazia rir juntos.
Rezem, sorriam, pensem em mim.
Rezem por mim.
Que meu nome seja pronunciado como sempre foi,
Sem ênfase de nenhum tipo.
Sem nenhum traço de sombra ou tristeza.
A vida significa tudo o que ela sempre significou,
O fio não foi cortado.
Porque eu estaria fora de seus pensamentos,
Agora que estou apenas fora de suas vistas?
Eu não estou longe,
Apenas estou do outro lado do Caminho...
Você que aí ficou, siga em frente.
A vida continua linda e bela, como sempre foi.”
(Santo Agostinho)

domingo, 14 de novembro de 2010

Eu tenho que aprender

 Nesta última quinzena tive algumas recaídas e preocupei minha mãe. Um não para mim é tempestade em copo d’água. Esqueço que as pessoas ao meu redor têm suas próprias limitações e nem sempre estão dispostas ou têm paciência para entender minhas explosões...

Tenho consciência de que preciso vencer as barreiras que construo e isso não pode afetar meu equilíbrio.

Quando fico desanimada ou frustrada com alguma coisa, tenho que simplesmente aceitar e não procurar culpados; devo ficar quieta e o dia não pode parar por minha causa; preciso entender que ninguém é obrigado a permanecer do meu lado, passando a mão na minha cabeça o tempo todo como seu eu fosse uma pobre coitada. Preciso mudar minhas reações, ter autocontrole e melhorar minha auto-estima, afinal eu tenho muitas virtudes e qualidades - essa certeza eu carrego. Mudar minha atitude, aprendendo a conviver com minhas frustrações, será bom para mim, pois só assim serei uma pessoa melhor e mais feliz.

Eu tenho que aprender a aceitar do jeito que sou...

Veja o vídeo com narração do poema “Você aprende” ('After a While', título em inglês):

video

Depois de algum tempo, você aprende a diferença, a sutil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança. E começa a aprender que beijos não são contratos e presentes não são promessas. E começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança.

E aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão. Depois de um tempo você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo. E aprende que não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam... E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la, por isso. Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.

Descobre que se levam anos para se construir confiança e apenas segundos para destruí-la, e que você pode fazer coisas em um instante das quais se arrependerá pelo resto da vida. Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias. E o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem na vida. E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher. Aprende que não temos que mudar de amigos se compreendermos que os amigos mudam, percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos.

Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa, por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas, pode ser a última vez que as vejamos. Aprende que as circunstâncias e os ambientes têm influência sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós mesmos. Começa a aprender que não se deve comparar com os outros, mas com o melhor que pode ser. Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser, e que o tempo é curto. Aprende que não importa onde já chegou, mas onde está indo, mas se você não sabe para onde está indo, qualquer lugar serve. Aprende que, ou você controla seus atos ou eles o controlarão, e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem dois lados.

Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as conseqüências. Aprende que paciência requer muita prática. Descobre que algumas vezes a pessoa que você espera que o chute quando você cai é uma das poucas que o ajudam a levantar-se.

Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve e o que você aprendeu com elas do que com quantos aniversários você celebrou. Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha. Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens, poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.

Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel. Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer que ame, não significa que esse alguém não o ama, contudo o que pode, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso.

Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, algumas vezes você tem que aprender a perdoar-se a si mesmo. Aprende que com a mesma severidade com que julga você será em algum momento condenado. Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte. Aprende que o tempo não é algo que possa voltar para trás.

Portanto... Plante seu jardim e decore sua alma, ao invés de esperar que alguém traga flores. E você aprende que realmente pode suportar... Que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais. E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida!

Nossas dádivas são traidoras e nos fazem perder o bem que poderíamos conquistar se não fosse o medo de tentar... (Veronica A. Shoffstall)

Nota sobre o vídeo: Um Dia Você Aprende que..., Você Aprende ou Depois de Um Certo Tempo são títulos para um mesmo hoax (embuste, história falsa) propagado primeiramente por e-mail, logo depois em blogs e em vídeos do YouTube, alcançando também redes de relacionamento. Na realidade, o texto foi escrito por Veronica A. Shoffstall, escritora norte-americana. Seu nome original é After A While. No Brasil, por causa da propagação da Internet, o texto, que estava traduzido, ficou conhecido como sendo de William Shakespeare, algo que deixou certos leitores de Shakespeare furiosos, pois estava muito longe de se assemelhar ao estilo shakesperiano. De fato, Veronica pegou um texto de Shakespeare, alterou, acrescentou, omitiu, modernizou o linguajar e publicou. (Wikipédia)

domingo, 31 de outubro de 2010

Afastando os fantasmas


“O plantio é livre, a colheita, obrigatória... Preste atenção no que você está plantando, pois será a mesma coisa que irá colher!”.

Minha maior dificuldade continua sendo, ainda, levantar da cama cedo... É uma luta diária porque me deixo levar pelo desânimo. Com isso, as manhãs se tornam curtas e percebo que não rendo o quanto gostaria. Claro, que isto gera conflitos aqui em casa, porque sou cobrada pelas minhas faltas na academia e nas atividades do dia-a-dia.

Tenho pensado muito sobre essa situação e sempre estou prometendo a mim mesma que será diferente no dia seguinte. É uma luta de Titãs: eu e os meus fantasmas.

O que me impulsiona a reagir é a vontade de vencer esses obstáculos para me tornar uma pessoa melhor, com confiança e resgatar minha auto-estima.

Recebi o texto abaixo, colocado na porta de um espaço terapêutico:

Aviso na porta de um Consultório Médico

O resfriado escorre quando o corpo não chora.
A dor de garganta entope quando não é possível comunicar as aflições.
O estômago arde quando as raivas não conseguem sair.
O diabetes invade quando a solidão dói.
O corpo engorda quando a insatisfação aperta.
A dor de cabeça deprime quando as dúvidas aumentam.
O coração desiste quando o sentido da vida parece terminar.
A alergia aparece quando o perfeccionismo fica intolerável.
As unhas quebram quando as defesas ficam ameaçadas.
O peito aperta quando o orgulho escraviza.
O coração enfarta quando chega a ingratidão.
A pressão sobe quando o medo aprisiona.
As neuroses paralisam quando a "criança interna" tiraniza.
A febre esquenta quando as defesas detonam as fronteiras da imunidade.

domingo, 24 de outubro de 2010

Coisas bonitas na vida

 
“O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. “Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis.” (Fernando Sabino)
 
video
 
Hoje é aniversário da minha querida irmã. E quero homenageá-la neste meu espaço, escrevendo um pouco sobre a época das comemorações que passamos juntas, sempre alegres e divertidas.
 
Na festa dos cinco anos dela, uma dupla de palhaços animou os convidados. Aos 10 anos, Jessica quis um baile com luz negra e globo de luz – para horror de minha mãe ... Na festa dos 15 anos, foi organizado um baile à fantasia - a casa foi desmontada para caber os mais de 60 convidados. Eu me fantasiei de odalisca, foi ótimo! Quando Jessica completou 18 anos, teve um churrasco com muita gente em volta da piscina e regado com cerveja (moderada pelos meus pais, é claro), para festejar sua maioridade... E, assim, durante todos os anos continuamos a festejar...
 
Minha irmã, quero desejar a você um dia repleto de alegria, felicidade e muita paz. Que o Amor floresça em seu jardim, a cada estação, perfumando a sua vida! Ofereço este poema para você:

Há coisas bonitas na vida

Bonitas são as coisas vindas do interior, as palavras simples, sinceras e significativas.

Bonito é o sorriso que vem de dentro, o brilho dos olhos...

Bonito é o dia de sol depois da noite chuvosa ou as noites enluaradas de verão em que todos saem de casa.

Bonito é procurar estrelas no céu e dar de presente ao amigo, amiga, namorado...

Bonito é achar a poesia do vento, das flores e das crianças.

Bonito é chorar quando se sentir vontade e deixar que as lágrimas rolem sem vergonha ou medo de crítica.

Bonito é gostar da vida e viver do sonho.

Bonito é ser realista sem ser cruel, é acreditar na beleza de todas as coisas.

Bonito é a gente continuar sendo gente em quaisquer situacões.

Bonito é você ser você.

(Letícia Thompson)

sábado, 16 de outubro de 2010

Vencendo o desânimo

  
“Temia mudanças, até que percebi as mudanças por que tem que passar uma bela borboleta antes de voar.”

Ando meio desanimada, sem vontade de fazer muita coisa, nem mesmo tocar teclado que gosto tanto. Os pensamentos negativos tomam conta de mim e demoro para reagir. Fico me perguntando o por quê desse desânimo, e não encontro resposta.

Não é por falta de atividade, pois todos os dias tenho um compromisso. Mas, já começa na hora de sair da cama pela manhã... Sem sono e com dor nas costas, insisto em continuar deitada, mesmo sabendo que levantar cedo é saudável e o dia seria mais produtivo. Isso atrapalha minha rotina, pois a manhã fica curta e tenho a sensação de que fiz pouco ou quase nada... Embora, eu não deixe de cumprir os compromissos assumidos.

Na minha agenda tenho registrado tudo o que acontece e acabou virando um diário. Relendo, por esses dias, percebi que inicio sempre escrevendo a mesma frase: “Dormi relativamente bem (ou não dormi bem). O dia tem que render, preciso me animar e ajudar mais nas tarefas da casa. Devo me levantar mais cedo, para que eu possa procurar um trabalho. ”

Pensando bem, acho que cobro de mim muito e esqueço que tenho limitações como qualquer outra pessoa. Devo ter em mente que é melhor ouvir a verdade que dói do que a mentira que adoça; ninguém consegue ferir meus sentimentos se eu não permitir; o que importa é o que penso de mim mesma; enfrentar a dor ajuda a amadurecer; só fracassa quem desiste.



domingo, 10 de outubro de 2010

Dieta mental


 
Ando muito preocupada com meu peso, pois estou bem acima do que deveria ser. Desde que entrei na Academia, onde pratico hidroginástica três vezes por semana e faço alongamento, bicicleta e esteira, perdi pouco ou quase nada. Sinto que os exercícios me fazem bem, porque contribuem para que eu não fique sedentária, mas preciso mesmo é “fechar a boca”...
 
Como é difícil perder peso!! Eu não como tantas guloseimas, a não ser uma vez ou outra quadradinhos de chocolate meio amargo e goiabada. Frituras quase não têm aqui em casa, mas muitas frutas, verduras e legumes, além de carnes variadas. Acredito que o maior problema está por conta do líquido que tomo durante as refeições. Isso faz aumentar o meu estômago e atrapalha a digestão.
 

O antropólogo Andrew Oitke, em “A Obesidade Mental”, descreveu o que considera o pior problema da sociedade moderna. Abaixo alguns fragmentos do livro:

“Há apenas algumas décadas, a Humanidade tomou consciência dos perigos do excesso de gordura física por uma alimentação desregrada. É hora de refletir sobre os nossos abusos no campo da informação e conhecimento que parecem estar dando origem a problemas tão ou mais sérios do que a barriga proeminente. ”

“A nossa sociedade está mais sobrecarregada de preconceitos que de proteínas, mais intoxicada de lugares-comuns que de hidratos de carbono.”

“As pessoas viciaram-se em estereótipos, juízos apressados, pensamentos tacanhos, condenações precipitadas. Todos têm opinião sobre tudo, mas não conhecem nada. Os cozinheiros desta magna fast food intelectual são os jornalistas e comentadores, os editores da informação e filósofos, os romancistas e realizadores de cinema. Os telejornais e telenovelas são os hambúrgueres do espírito. As revistas e romances são os donuts da imaginação.”

“Qualquer pai responsável sabe que os seus filhos ficarão doentes se abusarem dos doces e chocolates. Não se entende, então, como aceitam que a dieta mental das crianças seja composta por desenhos animados, por videojogos que se aperfeiçoam em estimular a violência e por telenovelas que exploram desmesuradamente a sexualidade, estimulando, cada vez com maior ênfase, a de segregação familiar, a permissividade e, não raro, a promiscuidade. Com uma ‘alimentação intelectual’ tão carregada de adrenalina, romance, violência e emoção é possível supor que esses jovens jamais conseguirão viver uma vida saudável e regular”.


“Não se trata de uma decadência, uma 'idade das trevas' ou o fim da civilização, como tantos apregoam. É só uma questão de obesidade.

“O homem moderno está adiposo no raciocínio, gostos e sentimentos. O mundo não precisa de reformas, desenvolvimento, progressos. Precisa, sobretudo, de dieta mental.”

domingo, 3 de outubro de 2010

Atitude

“A transformação do milho duro em pipoca macia é símbolo da grande transformação porque devem passar os homens para que eles venham a ser o que devem ser.” Rubem Alves


Tenho seguido o blog Bipolar Brasil, que aborda temas muito intressantes sobre o Transtorno Bipolar do Humor. Numa das postagens identifiquei-me com o tema sobre Psicose Maníaco Depressiva , onde Will, autor do texto, sugere a conscientização pelo portador dessa doença, para aceitá-la com mais facilidade, refletindo a respeito e reagindo. Não só como espectador, mas tendo atitudes para melhorar sua qualidade de vida.

Por vezes, também não consigo reagir, deixando de levantar da cama de manhã para os compromissos que assumi comigo mesma. Outras vezes, fico desanimada e acabo não fazendo nada do que eu gostaria de ter feito. Isso me deixa chateada, mas sei que uso de minha doença para justificar meu comportamento. Esta é uma situação muito difícil para mim, pois fico frustrada porque quero vencer meus obstáculos e pensamentos negativos que vivem me atormentando.

Will tem razão quando propõe uma mudança de atitude: Se você não for um tanto "duro" consigo, as coisas não sairão do lugar!

Como diz bem Rubem Alves, “Milho de pipoca que não passa pelo fogo continua a ser milho de pipoca, para sempre. Piruás são aquelas pessoas que, por mais que o fogo esquente, se recusam a mudar.”
Sugestão de leitura do texto “A Pipoca”, de Rubem Alves, extraído do jornal "Correio Popular", de Campinas, SP