domingo, 19 de setembro de 2010

Boas-vindas à Primavera!



Tive a oportunidade de fazer um passeio para a Cidade das Flores, junto com o pessoal do CAPS. Estava marcado para que todos se encontrassem às 7h30 na instituição, onde tomamos café da manhã. Dois micro-ônibus ficaram lotados e seguimos com destino à Holambra, onde chegamos por volta das 11h30.

Holambra é hoje uma das cidades brasileiras com maior índice de qualidade de vida e um dos principais roteiros turísticos de todo o estado de São Paulo. O município é o maior produtor e centro de comercialização de flores e plantas ornamentais do país.


Assim que descemos do ônibus, foi combinado que todos poderiam andar pelo parque e que o ponto de encontro no final da tarde seria na Praça de Alimentação.

Comecei a caminhar junto com uma colega e vimos uma exposição de flores muito bonita. Vi pessoas vestidas a caráter, que dançaram músicas típicas holandesas – também havia bonecos com roupas típicas espalhados pelo parque. Achei uma graça os roda-moinhos contornando os jardins. Tinha também uma banda de Jazz alegrando o pessoal. Muito criativo o orelhão em forma de sapato holandês, alguns pendurados em árvores e em arranjos de flores.


Lá pela 17hs o grupo se reuniu e nos dirigimos para o local onde um personagem mascarado se aproximou e espalhou uma chuva de pétalas sobre nós. Nessa hora me enchi de emoção, cheguei a chorar de tão lindo que foi aquele momento.

Terminado o passeio, voltamos para nossa cidade vislumbrados com o que presenciamos. Um dia inesquecível!

domingo, 12 de setembro de 2010

Meus bichinhos de estimação

A compaixão pelos animais está intimamente ligada à bondade de caráter e pode ser seguramente afirmado, que quem é cruel com os animais, não pode ser um bom homem.”
(Arthur Schopenhauer)

Temos em casa três adoráveis cachorros: dois machos e uma fêmea, sem raça definida, pois todos foram adotados. Gosto muito de brincar com eles e, sempre que posso, levo-os para passear.
Bingo, com seis anos, veio pequeno de um abrigo para cães. Peteleco, cinco anos, foi doado por uma moça que o encontrou na rua mas não tinha condições de criá-lo – segundo minha mãe conta, ele tinha alguns dias de vida e cabia na palma da mão... Mel, provalmente entre dois e três anos, veio para cá acompanhando os cachorros num passeio que fazíamos no início deste ano.

Esta semana foi necessário esterelizar a cachorrinha, porque os machos começaram a brigar e a veterinária aconselhou o procedimento . Todos aqui em casa ficamos meio apreensivos, pois seria feita anestesia geral – que sempre é uma preocupação...

No dia marcado, levamos Mel à clinica veterinária e ela estava um pouco assustada – talvez pelo cheiro do lugar – recebeu um tranquilizante e, em seguida, a anestesia que teve efeito bastante rápido. Depois de uma hora, fomos buscá-la. A cirurgia foi um sucesso e descobrimos que Mel tinha uma grande infecção nos ovários, portanto, demos uma sobrevida a ela, graças à decisão importante de esterelizá-la.

Quando voltamos da clínica, ela veio sob o efeito da anestesia e praticamente dormiu o dia todo. No momento, ela ainda está com os pontos, mas se recuperando muito bem. Já brinca um pouco com a gente e está sendo tratada com muito carinho...

Sempre é bom ter animais de estimação, pois são companheiros de todas as horas!


domingo, 5 de setembro de 2010

Amor de avó

Nesta semana, minha mãe e eu preparamos a casa com plantas novas e floridas para a chegada da Primavera. O jardim teve a grama aparada, nas jardineiras colocamos lindas flores e vasinhos coloridos no peitoral das janelas. Deu um toque especial ao ambiente e ficou muito bonito!

Em setembro, também é o aniversário de minha avó. Mas, no momento ela está hospitalizada, por causa de uma hérnia e talvez faça cirurgia. Temo porque ela já tem idade avançada, porém a intervenção é necessária. Estou rezando para que ela melhore o mais rápido possível, assim, poderemos festejar juntas mais um ano com alegria.


Tenho um grande amor por minha avó, que sempre esteve presente desde que nasci. Ela é muito carinhosa e atenciosa. Quando eu era pequena, íamos para a praia e brincávamos no mar, junto com meu saudoso avô. Também, jogávamos cartas e era muito gostoso.



Na minha adolescência, por várias vezes dormi em sua casa - eu a ajudava nas tarefas domésticas (às vezes eu reclamava, mas ela pacientemente entendia, sem deixar de ser enérgica). Nessa ocasião, minha avó preparava pratos que eu sempre gostei: a deliciosa gemada, o saboroso doce de abacaxi, a berinjela recheada, o ovo frito do jeito que só ela consegue preparar... Acompanhou-me em consultas médicas e presenciou muitas das minhas dificuldades. Cuidou de mim em diversas ocasiões, enquanto minha mãe trabalhava. Essas são lembranças de uma avó querida, a quem respeito muito. Ela estará no meu coração por toda a minha vida!



Hoje, mesmo distante de São Paulo, telefono regularmente para ela e, sempre que possível, a visito e alivio a saudade dos seus beijos e abraços.

video
Emocione-se com este vídeo que registra o amor incondicional de uma avó